Retrospectiva 2020 – Sintricom e trabalhadores conquistam ações na Justiça

Processos judiciais movidos por 39 ex-trabalhadores da MCE, 97 ex-trabalhadores da SEEL e Escritório de Advocacia conveniado ao Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Montagem Industrial de São José dos Campos e Litoral Norte (Sintricom), contra as empresas, pagam mais de R$ 1,5 milhão. O valor pago a cada trabalhador varia de acordo com o salário e tempo de trabalho.

Após quase seis anos de tramitação, a ação contra a MCE conquistou o pagamento das verbas rescisórias, FGTS e outros benefícios negligenciados pela empresa que prestou serviços na Monsanto, atual Bayer e foi embora sem pagar os direitos dos trabalhadores.  Todos os beneficiários já foram contatados pelo SINTRICOM que já efetuou o depósito das verbas conquistadas.

Presidente Marcelo Rodolfo conversa com trabalhadores na antiga Monsanto

“São vitórias importantes dos trabalhadores garantidas pelos advogados que trabalham em parceria com a atual gestão.  A conquista reforça a importância de termos um Sindicato forte para defender os direitos dos trabalhadores”, disse o presidente em exercício do Sintricom, Marcelo Rodolfo da Costa.

“Foi importante o apoio do Sindicato e dos advogados que lutaram conosco para que recebêssemos os nossos direitos. A empresa terminou o contrato e disse que era para nós procurarmos os nossos direitos. Sozinhos, nós não conseguiríamos essa vitória”, disse um dos contemplados da ação da MCE.

SEGUNDA AÇÃO – Além do grupo de 39, outra ação movida pelo SINTRICOM que envolve 16 ex-trabalhadores da MCE também foi vitoriosa. Nesse caso, o processo que está em fase de cálculo e os pagamentos devem acontecer no próximo ano (2021).

GARANTIA DA PERICULOSIDADE - Além do processo da MCE, ex-trabalhadores da Seel, também conquistaram na Justiça o direito ao pagamento da periculosidade pela prestação de serviços em obras de dutos da Petrobras. A decisão beneficiou 97 pessoas e o pagamento que já teve início, chegará a R$ 368 mil.

“Eu me lembro bem desse processo, pois era o presidente na época. Contratamos o perito que fez o laudo que comprovou que os trabalhadores tinham o direito ao pagamento da periculosidade. Muitas empresas continuam com essa prática que lesa e desrespeita os trabalhadores. Nosso jurídico prepara novas ações para o próximo ano”, disse o presidente Marcelo.

Sintricom, Feticom e Trabalhadores AGS conquistam acordo coletivo e encerram greve

Trabalhadores da AGS Engenharia, que atuam no TEBAR em São Sebastião, decidiram na manhã de hoje (4), aprovar acordo coletivo negociado pelo Sintricom (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São José dos Campos e Litoral Norte),  Feticom (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado de São Paulo) e encerrar a greve.

O acordo coletivo foi fechado na tarde de ontem em audiência de conciliação por videoconferência presidida pela desembargadora do TRT da 15ª Região em Campinas. Dra. Tereza Aparecida Asta Gemignani, que contou com a participação do administrador e jurídico da AGS.

Sintricom, Feticom e comissão de trabalhadores AGS Engenharia em audiência de conciliação no TRT da 15ª Região em Campinas

Por mais de três horas, uma comissão de trabalhadores da AGS, Sintricom e Feticom travaram uma batalha com a empresa. Entre os principais pontos das reivindicações estava a equiparação de salários como os praticados por outras empresas que atuam no TEBAR, pagamento de PLR (Participação nos Lucros e Resultados), cesta natalina, abono indenizado para contrato de “obra certa” e abono dos dias parados.

Apesar da empresa alegar que segue a Convenção Coletiva assinada pelo Sinduscom, a argumentação do Sindicato é que a empresa mantém trabalhadores na montagem industrial, que não se enquadram nos pisos praticados pela AGS.

Após negociação foi pactuado pisos salariais conforme segue:

  • Trabalhadores não qualificados: R$ 1.675,00
  • Trabalhadores qualificados: R$ 1.942,00
  • Trabalhadores oficiais: R$ 2.422,00

PLR, abono, cesta natalina e estabilidade após greve

Além da PLR no valor de um salário nominal, paga proporcionalmente ao tempo de serviço, os trabalhadores contratados por prazo determinado, cujos contratos terminem até 31 de dezembro de 2020, também receberão abono indenizatório (correspondente a 50% do valor do salário recebido).

O pagamento do café da manhã e do lanche da tarde serão mantidos, além da cesta natalina no valor de R$ 150,00 que deve ser paga no dia 20 de dezembro.

Estabilidade

O acordo também prevê estabilidade até 31 de dezembro de 2020 para encanadores, soldadores e ajudantes de mecânica com exceção dos contratos por prazo determinado – que tem regulamentação própria e os casos de rescisão por justa causa. Sobre os dias de paralisação ficou acertado o abono da metade e compensação da outra metade.

Após aprovar Acordo e encerrar greve, trabalhadores fazem oração antes de voltar ao trabalho

Quem se ama, se toca! Previna o câncer de mama!

Todos os anos acontece o Outubro Rosa, campanha de prevenção e cuidados contra o câncer de mama. O mês está chegando ao fim, mas os cuidados não. Apesar de ser uma doença que atinge em sua grande maioria as mulheres, estimativas nacionais indicam que 1% dos casos de câncer de mama afeta os homens brasileiros. A cada 100 casos, 1 ocorre no sexo masculino.

Somente este ano, o câncer de mama deve afetar mais de 66 mil mulheres, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). É segundo tipo que mais acomete brasileiras, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. O autoexame é uma das formas de prevenção e deve ser feito já na adolescência.

Apesar de se recomendar que mulheres de 50 a 69 anos façam mamografia de rastreamento a cada dois anos, segundo o INCA, o número de pacientes com menos de 40 anos esse ano deve chegar a cerca de oito mil casos, que corresponde a mais de 12% do total.

Campanha visa alertar sobre a prevenção e autocuidado

A prevenção e o diagnóstico precoce podem salvar vidas, faça o autoexame. Se notar algum nódulo (caroço) no seio ou axila. Vermelhidão ou descamação do mamilo ou da pele da mama. Inchaço irregular, dor, ou secreção em parte da mama, procure atendimento médico.

A FEMAMA é uma organização sem fins econômicos que foi responsável por trazer de forma organizada o Outubro Rosa para o país e tornar a campanha uma data no calendário brasileiro, desmistificando o câncer de mama. Mas 2020 é o ano de ir além da conscientização e partir para a ação. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Mastologista, as mulheres reconhecem que a mamografia é o melhor exame para identificar a doença, mas apenas 46,2% delas o fizeram 1 vez ao ano e 27% nunca fizeram. Os fatores são variados: dificuldade de acesso (64,9%), medo de encontrar alguma coisa (54,5%) e até não saber como se detecta (54%).

Criada de forma voluntária pela agência e21, de Porto Alegre, a campanha “3 perguntas que salvam #perguntapraela” vai além das mulheres: busca envolver toda a sociedade e expandir a conversa também para quem está ao seu redor a partir de uma atitude prática fazendo as “3 perguntas que salvam” para as mulheres que amam de verdade:

  1. Você tem observado suas mamas?
  2. Você já marcou seus exames anuais?
  3. Você conhece seus fatores de risco?

No logotipo da campanha, o número 3 ganhou formas de mamas e se tornou um ícone que vai permear tudo que se relaciona a câncer de mama no Brasil. As conversas nas redes sociais estimulam a quebra de tabu do assunto para que as pessoas ao redor das mulheres façam essas perguntas, com foco no diagnóstico precoce – que oferece até 95% de chance de cura –, autocuidado e a busca pelo conhecimento dos fatores de risco da doença.

Para saber mais sobre a doença acesse www.femana.org.br

Outubro Rosa 2020 FEMAMA

#OutubroRosa#sintricomdeluta#prevençãoaocâncer

Sintricom atende trabalhadores da GlobalJet

Trabalhadores da empresa Globaljet, subcontratada da Estrutural, estiveram hoje e ontem à sede do Sintricom de São José dos Campos para buscar atendimento jurídico da entidade nas negociações referente ao acordo de Parada, que acontece na REVAP.  

A principal reivindicação dos trabalhadores é que o acordo de Parada que está sendo negociado com a Estrutural seja o mesmo aplicado aos subcontratados pela Globaljet. Na reunião de hoje participaram da conversa com os trabalhadores os representantes da empresa, Cleison da Silva Loupack e Dayane Freitas.

HOMOLOGAÇÃO NA CASA DO TRABALHADOR!

Trabalhadores e Sintricom exigiram que a empresa faça as homologações no Sindicato e não em um hotel como havia comunicado aos trabalhadores. Além disso, ficou acordado pagamento de adicional de periculosidade de 30% sobre toda hora de exposição, abono indenizatório, ajuda de custo integral para quem trabalhar mais de 16 dias e proporcional para quem ficar na empresa por até 15 dias.

Além de questões sociais como prazo de até 72 horas para registro em CTPS e aprovação do ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) e outras questões administrativas.

É o SINTRICOM voltando a ser a Casa do Trabalhador! Juntos Somos Mais Fortes!

SINTRICOM CONSCIENTIZA TRABALHADORES DA IMPORTÂNCIA DA CIPA



AGORA É CIPA!Hoje estivemos conversando com os companheiros da Porto Belo na obra da Arena conscientizando-os da...

Publicado por Sintricom SJC, Vale do Paraíba e Litoral Norte em Sexta-feira, 18 de setembro de 2020



Compartilhe o Sintricom:

Sintricom apoia a campanha Setembro Amarelo

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, tirando a vida de uma pessoa por hora no Brasil, mesmo período no qual outras três tentaram se matar sem sucesso.

O assédio moral no trabalho é uma das práticas que levam muitos dos trabalhadores a desenvolveram quadros de depressão, bipolaridade e até mesmo uso de substâncias químicas, fatores que estão entre os principais causas que levam mais de 12 mil pessoas por ano a cometerem suicídio no Brasil. No mundo, o número ultrapassa 1 milhão de casos.

Além disso, o estresse econômico, a sobrecarga de trabalho e a incerteza sobre a própria subsistência, principalmente nesses tempos onde querem colocar a conta da crise provocada pela pandemia da Covid-19 em cima do trabalhador.

Nós do Sintricom, não aceitamos isso e reafirmamos nosso compromisso em continuar lutando pela defesa dos direitos e por melhores condições de vida para os trabalhadores da nossa base, bem como em todas as outras. Pois, quando a opressão e o desrespeito acontece em uma categoria afeta todas as outras.

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. As ligações podem ser feitas gratuitamente para o número 188, ou se preferir acesse https://www.cvv.org.br/quero-conversar/

A CAMPANHA SETEMBRO AMARELO

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo®. Cerca de 12 mil suicídios são registrados todos os anos no Brasil e mais de 1 milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens.

Estamos reorganizando o nosso Sintricom para que ele seja sempre a Casa do Trabalhador, a sua casa, onde você se sinta amparado e seguro, para juntos lutarmos por melhorias que garantam uma vida melhor para todos.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES! **#SintricomdeLuta#SintricomCasadoTrabalhador#SetembroAmarelo

Compartilhe o Sintricom: