NOVEMBRO AZUL ALERTA PARA A PREVENÇÃO DO CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata é a segunda maior causa de morte em homens no Brasil e permanece como a neoplasia sólida (tumor) mais comum. Somente esse ano, mais de 65 mil novos casos serão diagnosticados, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). Se descoberto logo no início, as chances de vencer a doença ultrapassam 90% dos casos. Mas, fique atento, a doença não costuma apresentar sintomas em fases iniciais. Por isso, a prevenção é o melhor remédio.

A recomendação da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia) é que os homens, a partir de 50 anos, e mesmo sem apresentar sintomas, devem procurar um médico, para avaliação. Aqueles que integrarem o grupo de risco que tenham histórico familiar de câncer de próstata em pai, irmão ou tio e homens da raça negra devem começar seus exames mais precocemente, a partir dos 45 anos.

A UBS (Unidade Básica de Saúde) é a porta de entrada para realizar consultas e tratamento na rede pública do SUS (Sistema Único de Saúde).

Câncer e outras doenças da próstata

Do tamanho de uma castanha e localizada abaixo da bexiga, a principal função da próstata é produzir uma secreção fluida para nutrição e transporte dos espermatozoides. Ao longo da vida a glândula pode desenvolver três doenças: a prostatite (inflamação), a hiperplasia prostática benigna – HPB (crescimento benigno) – e o câncer.

A prostatite chega a atingir cerca de 30% dos homens. Pode causar ardor ou queimação ou um desconforto durante o orgasmo, esperma de cor amarelada, vontade frequente para urinar etc. A principal causa para a doença são uretrites, como a gonorreia, após relacionamentos com parceiras com infecções ginecológicas e ainda após relação anal sem preservativo.

O coordenador da área de Hiperplasia Benigna da Próstata da SBU, Dr. Ricardo Vita, explica que a doença pode atingir cerca de 50% dos homens acima de 50 anos e provoca aumento da frequência urinária diurna, diminuição da força e do calibre do jato urinário, demora para iniciar a micção, sensação de urgência para urinar, entre outros sintomas.

“Além de prejudicar a micção, a HBP pode afetar o funcionamento da bexiga e dos rins, demonstrando a importância de se fazer uma identificação precoce dos sintomas, bem como o tratamento imediato”, destaca.

O câncer, por sua vez, não costuma apresentar sintomas em fases iniciais, quando em 90% dos casos pode ser curado se diagnosticado precocemente. Ao apresentar sintomas significa já estar numa fase mais avançada e pode causar vontade de urinar com frequência e presença de sangue na urina ou no sêmen.

“Não existe modo melhor de enfrentarmos uma doença do que diagnosticá-la no início, as opções e a efetividade dos tratamentos aumentam, podendo-se obter a cura. A introdução dos exames de detecção precoce do câncer prostático, há mais de vinte anos, resultou em queda da mortalidade pela doença em vários países”, avalia o diretor do Departamento de Uro-oncologia da Sociedade Brasileira de Urologia, Dr. Rodolfo Borges.

Portal da Urologia lançou a Campanha Seja Herói da sua Saúde para incentivar e alertar homens para a importância da prevenção do câncer de próstata. Além de materiais específicos como o folder abaixo, estão previstas palestras virtuais com especialistas.

Acesse e confira https://portaldaurologia.org.br/publico/novembro-azul/novembro-azul-alerta-para-diagnostico-e-tratamento-do-cancer-durante-a-pandemia/

Portal da Urologia lança Campanha Seja Herói da sua Saúde para incentivar e alertar homens para a prevenção do câncer de próstata
Portal da Urologia lança Campanha Seja Herói da sua Saúde para incentivar e alertar homens para a prevenção do câncer de próstata.
Portal da Urologia lança Campanha Seja Herói da sua Saúde para incentivar e alertar homens para a prevenção do câncer de próstata.

Fonte: Portal da Urologia

Quem se ama, se toca! Previna o câncer de mama!

Todos os anos acontece o Outubro Rosa, campanha de prevenção e cuidados contra o câncer de mama. O mês está chegando ao fim, mas os cuidados não. Apesar de ser uma doença que atinge em sua grande maioria as mulheres, estimativas nacionais indicam que 1% dos casos de câncer de mama afeta os homens brasileiros. A cada 100 casos, 1 ocorre no sexo masculino.

Somente este ano, o câncer de mama deve afetar mais de 66 mil mulheres, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). É segundo tipo que mais acomete brasileiras, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. O autoexame é uma das formas de prevenção e deve ser feito já na adolescência.

Apesar de se recomendar que mulheres de 50 a 69 anos façam mamografia de rastreamento a cada dois anos, segundo o INCA, o número de pacientes com menos de 40 anos esse ano deve chegar a cerca de oito mil casos, que corresponde a mais de 12% do total.

Campanha visa alertar sobre a prevenção e autocuidado

A prevenção e o diagnóstico precoce podem salvar vidas, faça o autoexame. Se notar algum nódulo (caroço) no seio ou axila. Vermelhidão ou descamação do mamilo ou da pele da mama. Inchaço irregular, dor, ou secreção em parte da mama, procure atendimento médico.

A FEMAMA é uma organização sem fins econômicos que foi responsável por trazer de forma organizada o Outubro Rosa para o país e tornar a campanha uma data no calendário brasileiro, desmistificando o câncer de mama. Mas 2020 é o ano de ir além da conscientização e partir para a ação. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Mastologista, as mulheres reconhecem que a mamografia é o melhor exame para identificar a doença, mas apenas 46,2% delas o fizeram 1 vez ao ano e 27% nunca fizeram. Os fatores são variados: dificuldade de acesso (64,9%), medo de encontrar alguma coisa (54,5%) e até não saber como se detecta (54%).

Criada de forma voluntária pela agência e21, de Porto Alegre, a campanha “3 perguntas que salvam #perguntapraela” vai além das mulheres: busca envolver toda a sociedade e expandir a conversa também para quem está ao seu redor a partir de uma atitude prática fazendo as “3 perguntas que salvam” para as mulheres que amam de verdade:

  1. Você tem observado suas mamas?
  2. Você já marcou seus exames anuais?
  3. Você conhece seus fatores de risco?

No logotipo da campanha, o número 3 ganhou formas de mamas e se tornou um ícone que vai permear tudo que se relaciona a câncer de mama no Brasil. As conversas nas redes sociais estimulam a quebra de tabu do assunto para que as pessoas ao redor das mulheres façam essas perguntas, com foco no diagnóstico precoce – que oferece até 95% de chance de cura –, autocuidado e a busca pelo conhecimento dos fatores de risco da doença.

Para saber mais sobre a doença acesse www.femana.org.br

Outubro Rosa 2020 FEMAMA

#OutubroRosa#sintricomdeluta#prevençãoaocâncer