Trabalhadores da UTGCA ameaçam parar se negociações não avançarem

Trabalhadores da UTGCA ameaçam parar se negociações não avançarem

NENHUM DIREITO A MENOS
Os trabalhadores das empresas terceirizadas na UTGCA deixaram claro na assembleia realizada na sexta (14) que estão fechados com o Sintricom e não irão permitir acordo com a retirada de direitos. E ameaçam parar as atividades na planta caso as empresas não apresentem proposta que esteja de acordo com a pauta aprovada.

“A Petrobras nessa pandemia foi a empresa brasileira que mais teve resultado positivo. Não dá pra engolir as empresas quando vai fechar acordo diz que a Petrobras está tirando isso, aquilo. Não cola. Nós somos essenciais. E tem patrão que é que nem galo veio, nem na pressão ele amolece. A gente tem que mostrar para essa gataiada aí que nós vamos pro pau sim. Eu quero discutir o reajuste, o INPC está ai 7,59%. E não vamos deixar na mesa de negociação nenhuma retirada de direitos”, disse o presidente em exercício do Sintricom, Marcelo Rodolfo.


UNIDADE
O ato contou com o apoio do Sindipetro-LP que destacou a importância da unidade.
“A gente tem que se unir porque o governo que está aí quer tirar o sangue do trabalhador, deixando vocês morrer a míngua sem dar vacina. A gente tem que exigir das empresas. Esses patrões tem que enxergar isso aqui, a força de vocês junto com a liderança”, disse Marcelo da Silva, diretor do Sindepetro-LP.

A assembleia também teve a participação do Sindicato dos Condutores do Vale do Paraiba, Sintricom de Jacareí e do Sifuspesp (Sindicato dos Agentes Penitenciários).


sintrico